quarta-feira, 4 de maio de 2011

LUCIDEZ DE UM HOMEM INSPIRADO POR DEUS







LUCIDEZ DE UM HOMEM INSPIRADO POR DEUS (não deixe de ler). Independente da religião de cada um, com certeza vc vai aplaudir a lucidezdesse homem que escreveu com certeza inspirado por Deus.
DEUS NÃO SE DISCUTE, SE AMA .

O que a religião faz com a gente ou fez com muita gente: Jogar bola é pecado, assistir o Ultramen é pecado, mulher cortar o cabelo é pecado, usar calça é pecado, jogar truco é pecado (engraçado tem pastor que joga e joga bem), dominó é pecado, alienar não é pecado, não dá atenção aos filhos não é pecado, lorotas, lorotas, lorotas "santa religião", esse é o problema.

Parece mentira, mas foi verdade. No dia 1°/Abr/2010, o elenco do Santos atual campeão paulista de futebol foi a uma instituição que abriga trinta e quatro pessoas. O objetivo era distribuir ovos de Páscoa para crianças e adolescentes, a maioria com paralisia cerebral.

Ocorreu que boa parte dos atletas não saiu do ônibus que os levou.

Entre estes, Robinho (26a), Neymar (18a), Ganso (21a), Fábio Costa (32a), Durval (29a), Léo (24a), Marquinhos (28a) e André (19a) todos ídolos super-aguardados.

O motivo teria sido religioso: a instituição era o Lar Espírita Mensageiros da Luz, de Santos-SP, cujo lema é Assistência à Paralisia Cerebral

Visivelmente constrangido, o técnico Dorival Jr. tentou convencer o grupo a participar da ação de caridade. Posteriormente, o Santos informou que os jogadores não entraram no local simplesmente porque não quiseram.

Dentro da instituição, os outros jogadores participaram da doação dos 600 ovos, entre eles, Felipe (22a), Edu Dracena (29a), Arouca (23a), Pará (24a) e Wesley (22a), que conversaram e brincaram com as crianças.

Eis que o escritor, conferencista e Pastor (com P maiúsculo) ED RENÉ KIVITZ, da Igreja Batista de Água Branca (São Paulo), fez uma análise profunda sobre o ocorrido e escreveu o texto No Brasil, futebol é religião, que abaixo tenho o prazer de compartilhar.
____________ _________ _________ _________
No Brasil, futebol é religião por Ed Rene Kivitz

Os meninos da Vila pisaram na bola. Mas prefiro sair em sua defesa.
Eles não erraram sozinhos. Fizeram a cabeça deles. O mundo religioso é mestre em fazer a cabeça dos outros. Por isso, cada vez mais me convenço que o Cristianismo implica a superação da religião, e cada vez mais me dedico a pensar nas categorias da espiritualidade, em detrimento das categorias da religião.


A religião está baseada nos ritos, dogmas e credos, tabus e códigos morais de cada tradição de fé.
A espiritualidade está fundamentada nos conteúdos universais de todas e cada uma das tradições de fé.

Quando você começa a discutir quem vai para céu e quem vai para o inferno; ou se Deus é a favor ou contra à prática do homossexualismo; ou mesmo se você tem que subir uma escada de joelhos ou dar o dízimo na igreja para alcançar o favor de Deus, você está discutindo religião. Quando você começa a discutir se o correto é a reencarnação ou a ressurreição, a teoria de Darwin ou a narrativa do Gênesis, e se o livro certo é a Bíblia ou o Corão, você está discutindo religião. Quando você fica perguntando se a instituição social é espírita kardecista, evangélica, ou católica, você está discutindo religião.

O problema é que toda vez que você discute religião você afasta as pessoas umas das outras, promove o sectarismo e a intolerância. A religião coloca de um lado os adoradores de Alá, de outro os adoradores de Yahweh, e de outro os adoradores de Jesus. Isso sem falar nos adoradores de Shiva, de Krishna e devotos do Buda, e por aí vai.
E cada grupo de adoradores deseja a extinção dos outros, ou pela conversão à sua religião, o que faz com que os outros deixem de existir enquanto outros e se tornem iguais a nós, ou pelo extermínio através do assassinato em nome de Deus, ou melhor, em nome de um deus, com d minúsculo, isto é, um ídolo que pretende se passar por Deus.

Mas, quando você concentra sua atenção e ação, sua práxis, em valores como reconciliação, perdão, misericórdia, compaixão, solidariedade, amor e caridade, você está no horizonte da espiritualidade, comum a todas as tradições religiosas. E quando você está com o coração cheio de espiritualidade, e não de religião, você promove a justiça e a paz.
Os valores espirituais agregam pessoas, aproxima os diferentes, faz com que os discordantes no mundo das crenças se dêem as mãos no mundo da busca de superação do sofrimento humano, que a todos nós humilha e iguala, independentemente de raça, gênero, e inclusive religião.

Em síntese, quando você vive no mundo da religião, você fica no ônibus. Quando você vive no mundo da espiritualidade que a sua religião ensina ou pelo menos deveria ensinar, você desce do ônibus e dá um ovo de páscoa para uma criança que sofre a tragédia e miséria de uma paralisia mental.

Ed René Kivitz, cristão, pastor evangélico, e santista desde pequenininho.

quinta-feira, 3 de março de 2011

EU ACREDITO EM DEUS!

 EU ACREDITO EM DEUS!  

Mas não sei se o Deus em que eu acredito é o mesmo Deus em que acredita o balconista, a professora, ou o porteiro.
O Deus em que acredito não foi globalizado.
O meu Deus é tão superior quanto o Deus dos outros, mas sua superioridade está na compreensão das diferenças, na aceitação das fraquezas e no estímulo à felicidade.
O Deus em que acredito me ensina a guerrear conforme as armas que tenho e detecta em mim a honestidade dos atos.
O Deus em que acredito não condena o prazer.
O Deus em que acredito não me abandona, mas me exije mais do que uma visita à igreja, uma flexão de joelhos e uma doação aos pobres:
Cobra caro pelos meus erros e não aceita promessas performáticas, como carregar uma Cruz gigante nos ombros.
A Cruz pesa onde tem que pesar: dentro. É onde tudo acontece e tudo se resolve.
Este é o Deus que me acompanha. Um Deus simples.
Deus que é Deus não precisa ser difícil e distante, sabe tudo e vê tudo.
Meu Deus é discreto e otimista.
Não se esconde, ao contrário, aparece principalmente nas horas boas para Incentivar, para me fazer sentir o quanto vale um pequeno momento grandioso: Um abraço num amigo, uma música na hora certa, um silêncio.
Meu Deus é humilde. 
Não posso imaginar um Deus repressor e um Deus que não sorri. 
Quem não te sorri não é cúmplice.

[Martha Medeiros ]

Sai pra lá estresse.

8 de Março - Dia Internacional da Mulher

Em homenagem este dia um pequeno "histórico histórico" e um belo vídeo do que estas mulheres são capazes. Salve Salve - 8 de Março - Dia Internacional da Mulher.

Carmel A-Cappella - Vivaldi - The four seasons - The spring





Dia Internacional da Mulher, celebrado a 8 de Março, tem como origem as manifestações das mulheres russas por "Pão e Paz" - por melhores condições de vida e trabalho e contra a entrada do seu país na Primeira Guerra Mundial. Essas manifestações marcaram o início da Revolução de 1917. Entretanto a idéia de celebrar um dia da mulher já havia surgido desde os primeiros anos do século XX, nos Estados Unidos e na Europa, no contexto das lutas de mulheres por melhores condições de vida e trabalho, bem como pelo direito de voto.

No Ocidente, o Dia Internacional da Mulher foi comemorado no início do século, até a década de 1920.
Na antiga União Soviética, durante o stalinismo, o Dia Internacional da Mulher tornou-se elemento de propaganda partidária.
Nos países ocidentais, a data foi esquecida por longo tempo e somente recuperada pelo movimento feminista, já na década de 1960. Na atualidade, a celebração do Dia Internacional da Mulher perdeu parcialmente o seu sentido original, adquirindo um caráter festivo e comercial. Nessa data, os empregadores, sem certamente pretender evocar o espírito das operárias grevistas do 8 de março de 1917, costumam distribuir rosas vermelhas ou pequenos mimos entre suas empregadas.
1975 foi designado pela ONU como o Ano Internacional da Mulher e, em Dezembro de 1977, o Dia Internacional da Mulher foi adotado pelas Nações Unidas, para lembrar as conquistas sociais, políticas e económicas das mulheres, mas também a discriminação e a violência a que muitas delas ainda são submetidas em todo o mundo.

quarta-feira, 2 de março de 2011

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Tradutor de Mulheres e Homens.

O fim das encrencas em casa estão com os dias contados.
http://www.youtube.com/watch?v=VQF9nwV6am4&feature=player_embedded

Amor, onde estás?

O que você vai ver constrange o ser humano. O islamismo, fundado por Maomé no século VII, religião marcada pela intolerância e pela violência (Correntes radicais do islamismo - http://pt.wikipedia.org/wiki/Isl%C3%A3o#Viol.C3.AAncia_e_as_correntes_radicais_do_islamismo). O Alcorão, o livro sagrado deles, prevê que o homem pode ter 5 esposas. Maomé foi autorizado a ter 9. É muito comum, hoje, as críticas às cruzadas. Mas só faz isso quem desconhece a história. Quando o Papa Bento XVI mencionou uma frase do imperador bizantino Manoel II a respeito do comportamento das hostes muçulmanas nos ataques aos cristãos, só faltou a Al Qaeda, a organização do bin Laden, mandar matar o Papa. Os cristãos estão praticamente desaparecendo dos países muçulmanos, tamanha a intolerância e as discriminações que sofrem. Há, evidentemente, a exceções, mas são reduzidíssimas. Mas veja o que ocorre no Paquistão, o segundo maior país muçulmano depois da Indonésia.